Hoje chorei sozinha

Às vezes penso porque ouço tantas vezes a frase “estou a sofrer muito em silêncio…sozinha (o)”

Será por estar mais “aberta” a esta questão”?

Mais sensível ao tema?

Ter passado exactamente pelo mesmo silêncio pelo simples facto de ser sobrevivente de Traumatismo Crânio Encefálico ligeiro?

A resposta a esta pergunta vou descobrindo aos poucos, com o passar dos meses, dos anos…
Mas o facto é que todos temos algo em comum: pensamentos e emoções. Vivemos um turbilhão de situações, dia após dia, que nos colocam na “corda bamba” sem sabermos para que lado vamos cair. Eu sei disso. E também sei que das piores coisas que existe é acharmos que tudo já passou e, numa fracção de segundos, a vida muda-nos as respostas todas. Respostas essas que achávamos tão certas.
É neste preciso momento que desabamos. É neste preciso momento que baixamos todas as defesas mesmo que inconscientes e choramos…apenas choramos, porque na realidade não conseguimos fazer mais nada.
Hoje ouvi esta frase e sinceramente? Sim, cortou-me a Alma.

Ouvi alguém dizer que fez exactamente a mesma coisa que eu fiz. Sofrer em silêncio.
Alguém como tantos “alguns” que vou conhecendo, que esboçam o melhor sorriso perante o mundo e deixam cair a lágrima mais sentida e pesada sozinhas.

O assunto “doentes silenciosos” daria para escrever um livro de muitas e longas páginas e nelas estariam de certeza escritas cinco frases:

– …como voltar a viver a vida e não ser vivida por ela
-… distinguir emoção da razão
– … o invisível aos olhos é das coisas mais difíceis de se provar
-…readaptar-me
-…olhar o medo de frente

 

Esta é a reflexão que aqui fica hoje.

 

P.S: não deixes que o medo de aparentares ser uma pessoa frágil te torne uma pessoa que esconde as suas dores, fraquezas e tristezas… Quando te sentires triste, fraca ou frágil, procura ajuda se for preciso!!! Ficarás admirada com o resultado…

 

Fotografia : Movimentos e Olhares
Traumatismo Crânio Encefálico Ligeiro
Traumatismo Craniano