Realidades Traumatismo Crânio Encefálico Ligeiro

  1. É extremamente difícil descansar ao mesmo tempo a mente e o humor

Existem dois pilares de recuperação de um  Traumatismo Crânio Encefálico (TCE) Ligeiro:

Descanso Cognitivo

Gestão do estado de espírito

No último ponto, falamos sobre o descanso cognitivo, mas fazer a gestão do estado de humor é também muito importante.
Podes conseguir limitar a actividade do teu cérebro, mas se te estiveres a sentir triste, deprimido ou ansioso, a tua reabilitação fica dificultada e vai parar.
Os dois pilares precisam de estar intactos, em equilíbrio, para que a recuperação seja de uma forma adequada.
Alcançar este equilíbrio é mais difícil do que possas imaginar.

Nos primeiros dias, meses de recuperação, é normal que te sintas numa espécie de “cela”. E porquê?
Vais conseguir dar ao teu cérebro tudo o que precisa para recuperar eliminando todos os estímulos à tua volta no entanto o sentimento de solidão geral aumenta. Os amigos desaparecem, os livros, a televisão, o computador, o telefone, tudo desaparece. Não tens nada para fazer a não ser descansar.

Mas os dias começam a passar e transformam-se em meses de um dia a dia adiado.

Então provavelmente vais usar uma técnica que todos conhecemos no dia a dia das nossas vidas apressadas: pensar em tudo isso de forma positiva e aproveitar para descansar “a sério” ou até aprender novas técnicas que te ajudem, como por exemplo meditar. Quem já não fez isto? Todos temos a capacidade de ver oportunidades na adversidade.

O que muitas vezes não conseguimos ver é que ainda não estamos preparados para sobreviver sozinhos. Sejam essas técnicas planeadas ou inconscientes (instinto de sobrevivência). E quanto mais tentamos mais o ruido na cabeça aumenta, a ansiedade aumenta, vem a depressão e o medo aterrorizado em relação ao futuro.

Uma das primeiras ideias é ir contra o que foi aconselhado fazer, ou seja, descanso total. E então vais começar a ir buscar algumas coisas como o telemóvel ou televisão. Vais traze-las de volta para a tua vida simplesmente para te sentires. Tu. Para preencheres o vazio e a dor.
Depois vais começar a sair de casa. Vais começar a sociabilizar e até podes ter a ideia de ires fazer ginástica, ler um bom livro. Vais procurar ter uma “fatia “de vida normal.
Há alturas em que achamos que estamos a utilizar as melhores estratégias, e sim vais perceber que o teu humor vai melhorar. E sim, vais perceber que, assim de repente, foi actividade a mais para o teu cérebro e vais perceber que gradualmente os sintomas podem piorar.
É no teu cérebro que reside o cerne da recuperação de um Traumatismo Crânio Encefálico(TCE) Ligeiro: tratar só um pilar garante que o outro vá caindo. Descansares só a mente leva a que o teu humor caia. E levantares o teu humor deixa a tua mente sem o resto que precisa para se recuperar.

 

Assim se cai num circulo vicioso e numa espiral nebulosa…
Há medida que o humor piora, a reabilitação fica estagnada, o que por sua vez faz com que o humor mergulhe ainda mais nesta espiral.
Assim, podem aparecer as insónias, a depressão, aumento do estado de ansiedade, a falta de esperança e até mesmo o pensamento suicida.

O que fazer? E agora? Como podes neste turbilhão todo relaxar (dentro do possível)? Ajudares o teu corpo nesta sua árdua tarefa de reabilitação? É possível isso? Sim é possível.
Com exercício físico. Depois de falares com o teu médico para ele avaliar qual o que se adequa à fase de reabilitação em que te encontras.
Poderás fazer exercícios mais aeróbios como por exemplo natação ou corrida ou podes fazer outro tipo de exercícios como ioga ou pilates que te dão e te ensinam ( caso nunca tenhas feito) mais relaxamento, ajudam a melhorar a tua concentração e mantêm os teus músculos em forma.

Tudo isto leva à extrema importância de que todos os intervenientes nesta recuperação, incluindo cuidadores informais (família, amigos, colegas, etc.) entendam claramente, ou da melhor forma possível o que poderá vir a acontecer. Assim se torna bastante importante o próximo ponto.