O Medo

Começar do “zero” não é fácil. É como dar um salto no vazio, como conter a respiração e sentir que estamos a morrer. Mas é possível. Diria que completamente possível.

Não há dúvida que é uma nova etapa, a da reabilitação. Causa medo e angústia. No entanto, uma forma de encontrar forças é sentir e saber que alguém nos apoia e nos entende exactamente no “ponto” em que nos encontramos e que nos vai ajudar a continuar. Dia após dia, mês após mês…

Este “recomeço”, esta vontade começa em ti. É um passo que tem de ser dado primeiro por ti… sobrevivente de Traumatismo Crânio Encefálico ligeiro.

Uma das coisas que te pode impedir de avançar, na altura de dares o primeiro passo, é pensares que “já é tarde demais”.
Quando dás por ela, já estás a pensar até na tua idade e podes até chegar a pensar que, uma certa idade pressupõem por exemplo, ter que calar e aguentar porque as tuas oportunidades já passaram. Não é bem assim. Nunca é tarde para sair do sofrimento, e na verdade esta é uma obrigação para contigo.
Vais até sentir que tens medo sair de casa sozinha… que tens medo de ir dormir porque tens medo de não acordar…que tens medo de andar de elevador porque tens medo que te falte o ar…que tens medo de cair porque tens medo de não te levantares mais…sim vais ter medo de tudo. Da idade, do elevador, da rua, do chão, do sono, da noite, do dia…

Pensa que quando dás o primeiro passo rumo à reabilitação, quando enfrentas o medo, tudo é incrivelmente novo…e o novo não é mau.
Assusta é verdade, mas oferece-te a oportunidade de alcançares aquilo que tanto queres – voltar a ti.

Começar do “zero” é algo duro e complexo, mas mantem o teu objetivo: venceres-te a ti própria.

 

P.S: Toda a mudança requer, em primeiro lugar, tomar pequenas decisões que pouco a pouco te levarão a dar o passo final.

 

Fotografia: Movimentos e Olhares

Traumatismo Crânio Encefálico ligeiro

Traumatismo Craniano