Sintona

Texto maravilhoso que transporto de uma forma lúdica para a sintomatologia de quem sofreu um Traumatismo Crânio-encefálico ligeiro/moderado:

 

” Tenho muitos nomes: dor de cabeça, dor de estômago, dor nas costas, irritabilidade, ansiedade, e a lista continua. Ofereci-me como voluntário para o pior trabalho: ser o portador de notícias pouco agradáveis para ti.

Tu não entendes, ninguém me compreende. Tu achas que eu te quero incomodar, estragar os teus planos de vida, atrapalhar, fazer o mal, limitar-te… E não é assim, isso seria um absurdo. Eu o SINTOMA, simplesmente tento falar numa linguagem que tu entendas.

Diz-me uma coisa – Negociarias com terroristas, batendo-lhes na porta com uma flor na mão e vestindo uma camisola com o símbolo da “paz” impresso nas costas? Não, certo?

Então, porque não entendes que eu, o sintoma não posso ser “sutil” e “levezinho” quando preciso passar-te uma mensagem? Bate-me, odeia-me, reclamas de mim para todas as pessoas, reclamas a minha presença no teu corpo mas, não páras um minuto para pensar e raciocinar e tentar compreender o motivo da minha presença no teu corpo.

Apenas te escuto dizer: “Cala-te”, “vai-te embora”, “odeio-te”, “maldita a hora que apareceste”, e tantas outras frases que me tornam impotente para te fazer entender mas,…..preciso manter-me firme e constante, para que entendas a mensagem.

O que é que tu fazes ? Mandas-me dormir com remédios. Mandas-me calar com sedativos.

Imagina que sou a sirene do Titanic, aquela que tenta de mil maneiras avisar que tens um iceberg na frente. Toco e toco durante horas, semanas, meses, durante anos, e tu reclamas que não te deixo dormir, que não te deixo trabalhar, ainda assim continuas sem me ouvir…

Compreendes o que te digo?

Para ti , eu o sintoma, sou “A doença”. Que absurdo! Não confundas as coisas. Depois de tudo isto, decides ir ao médico e pagar por consultas e medicamentos, só para me calar.

Eu não sou a doença, sou o SINTOMA.

Quando eu, “o sintoma” apareço na tua vida, não é para te cumprimentar, é para te avisar que uma emoção contida no teu corpo, deve ser analisada e resolvida para não ficar doente. Deverias então perguntar a ti mesmo: “por que apareceu esse sintoma na minha vida”, “o que pretende alertar”? Por que aparece ele agora? Que devo mudar em mim?

Se deixares essas perguntas apenas para a tua mente, as respostas não te vão levar além do que já vem acontecendo.. Deves perguntar também ao teu inconsciente, ao teu coração, às tuas emoções.

Por favor, quando eu aparecer no teu corpo, antes de procurares um médico para me adormecer, procura um médico que te ajude a analisar o que tento dizer-te verdadeiramente,. por uma vez na vida, gostaria que o meu excelente trabalho fosse reconhecido e, quanto mais rápido tomares consciência do porquê do aparecimento no teu corpo, mais rápido irei embora.

Aos poucos descobrirás que quanto melhor analisares, menos te visito. Garanto-te que chegará o dia que não me verás nem me sentirás mais. Conforme atingires esse equilíbrio e perfeição como “analisador” das tuas emoções e das tuas reações, não precisarás mais comprar remédios.

Por favor, deixa-me sem trabalho. Ou tu achas que eu gosto do que eu faço?

Convido-te a refletir sobre o motivo da minha visita, cada vez que eu apareça. Deixa de me mostrar aos teus amigos e família como se eu fosse um troféu..

Estou farto que digas:

“ “Aqui estou eu, sempre com enxaqueca”.

“ Aqui estou eu sempre ansiosa”.

“ Aqui estou eu sempre sem dormir”

O meu trabalho é vergonhoso e tu deverias sentir vergonha de tanto me elogiar na frente dos outros.

Por favor, toma consciência, analisa com o médico que te ajuda a fazê-lo.

Quanto antes o fizeres, mais cedo partirei da tua vida!

Atenciosamente,

O sintoma.”

 

Crédito fotografia : Movimento e Olhares – Traumatismo Craniano