V –  Realidades Traumatismo Crânio Encefálico Ligeiro

  1. O processo de recuperação está cheio de incerteza

Um dos aspectos mais assustadores da recuperação de um Traumatismo Crânio Encefálico (TCE) Ligeiro é lidar com a incerteza.

Se partires um braço ou magoares um joelho, o processo de recuperação é geralmente direto. O tempo de recuperação que um médico te diz é mais ou menos preciso. Descansando alguns meses vais ver que a tua lesão melhora gradualmente de forma linear.
Recuperar uma lesão cerebral não é tão simples.

Não consegues avaliar tão claramente o “quanto” recuperado realmente estás. Podes fazer um TAC ou uma ressonância magnética, mas na realidade não vais saber o que a cabeça sente, ou pode vir a sentir. Isso varia de dia para dia. Semana para semana. Uns dias vais conseguir sair de casa, ver luzes brilhantes, estar mais activo. Outros dias vais sentir que andaste tudo para trás.

O Traumatismo Crânio Encefálico  TCE deixa-te num ponto distante daquele em que estavas antes dele. A viagem de retorno é lenta e progressiva e local onde essa viagem termina é variável conforme o trauma e a pessoa, podendo ser mais ou menos distante do ponto inicial.

A verdade é que cada cérebro é diferente, cada TCE é diferente e cada recuperação é diferente. Os médicos vão recomendar certas práticas para ajudar a recuperação, mas a realidade é que nem eles sabem a 100% o que está a acontecer dentro do teu cérebro quando este fica ferido.

Toda essa incerteza torna o processo exponencialmente mais desafiador.

Conclusão

Sofrer um Traumatismo Crânio Encefálico (TCE) Ligeiro pode ser uma das experiências mais difíceis da tua vida. O que normalmente te mantêm “saudável” desaparece rapidamente. Desde o trabalho, passatempos, vida familiar… O teu humor pode cair e continuar a espiral descendente ao longo do processo. A reabilitação pode ser rochosa e cheia de incertezas principalmente quando encarada sozinho.

Fisicamente, mentalmente e emocionalmente…Todos estes desafios se juntam.
No entanto, se tiveres a coragem de pedir ajuda ( sim é preciso coragem), se quiseres encontrar o teu caminho, se conseguires olhar para fora, para as extremidades, vais perceber que tens uma força que nem sabias que estava lá. Precisas de dar o primeiro passo e este passo chama-se: Aceitação.

Sim estão aqui escritas muitas realidades cinzentas. Mas acredita (mesmo) que pessoas que apesar de não entenderem tudo o que tu dizes, entendem tudo o que tu sentes. E esse é um bom porto de partida.